R. Antônio de Barros, 2391 - São Paulo/SP
(11) 2925-5653
amor paterno

A FORÇA DO AMOR PATERNO

Esse final de semana foi o dia dos pais e assim como no dia das mães (veja aqui), hoje tem homenagem para ele.

De maneira diferente, cada um deles participou na construção da minha forma de ver o mundo.

Ele me mostrou que nos fatos cotidianos, querer influir em algo cujo controle nos escapa, não é sinal de força, como também não é de bom senso e de uso adequado da inteligência.

Eu gostaria de influir sobre muitas coisas essenciais da vida, mas em verdade, ele também me ajudou a ver que não posso e ninguém poderá.

Me senti insegura nas vezes que tentei controlar algo desagradável ou doloroso. Ele, silenciosamente, me ensinou que a humildade em aceitar a verdade que me deixava impotente e vulnerável era o que daria sabor a vida.

Com ele compreendi que tenho que tolerar toda a dor e sofrimento que o destino me trouxer. Isso tudo sendo humana, sem alardes, gritos, ameaças ou me colocando como vitima do mundo.

Aprendi com ele que ser forte é ter competência para aceitar, administrar e digerir todas as contrariedades, frustrações, dores e fracassos, e, apesar de tudo, agradecer por mais um dia vivido com saúde.

A primeira impressão pode parecer uma pessoa brava, mas meu pai faz o que ninguém espera que ele faça. Em poucos minutos de conversa, ele sutilmente abre um sorriso largo sinalizando: gostei de você!

É ousado e transmite uma convicção intima de que, se fracassar, terá forças interiores para se recuperar. Mesmo que a ideia do fracasso lhe provoque uma dor insuportável, ele segue adiante.

Eu sempre o vi como protagonista que sustenta o humor da minha família. Em algumas ocasiões suas reações intensas, ao mesmo tempo que davam energia para colocar a vida em funcionamento, aborreciam quando surgiam rigidamente.

Muito da perda da minha insegurança se deu pelo fato de ter sua mão apoiando a minha em momentos de felicidade e tristeza.

Esta foto concretiza isso tudo que estou dizendo da maneira mais linda que alguém poderia ver.

O dia dos pais terminou, mas a sua intensão em se fazer presente e acompanhar meu crescimento continua viva todos os dias com a mesma força.

Minha gratidão a você e a mãe será eterna.

Com amor,

Ana Flávia Fernandes

Posts Relacionados

Deixe uma resposta