R. Antônio de Barros, 2391 - São Paulo/SP
(11) 2925-5653
criança falar telefone

BRINCAR E O DESENVOLVIMENTO INFANTIL

“…coisa gostosa é brincar! Brinquedos dão alegria: bonecas, pipas, peões, bolas, petecas, balanços, escorregadores… Os brinquedos podem ser feitos com os mais diferentes materiais: madeira, plástico, metal, pano e papel. Mas há brinquedos que são feitos com algo que a gente não pode tocar e nem pegar: brinquedos que são feitos com as palavras.” (Rubem Alves).

No último post que escrevi aqui falei sobre a importância do brincar. E, hoje, para firmar ainda mais a importância que essa “atividade” tem na vida das criança, venho contar para vocês que existem pessoas preocupadas com esse tema no mundo inteiro e que, pensando nisso, idealizaram e concretizaram a Semana Mundial do Brincar.

Este ano ela ocorrerá entre os dias 24 e 30 de maio. Esse evento é uma mobilização que nasceu no Brasil e vem sendo realizada em vários países para sensibilizar a sociedade sobre a importância do brincar. O objetivo desse trabalho é não deixar que os adultos se esqueçam da necessidade de preservação e o respeito do tempo das crianças brincarem.

É muito comum, recebermos nos consultórios e nas instituições que atendem crianças, famílias cada vez mais tendenciosas a compras de vídeos, jogos eletrônicos, entre outras coisas, passando cada vez menos tempo ao lado de seus filhos. E para ajudar vocês a brincar com os pequenos, vou contar um pouco sobre o desenvolvimento do brincar na criança, enfatizando atividades que os interessam de acordo com a idade. Assim, vocês poderão ter cada vez mais ideias para criar e construir momentos que fortaleçam o desenvolvimento dos seus filhos e a relação de vocês. Vale lembrar que estar ao lado deles significa estar por inteiro, com atenção e amorosidade.

De 0 a 6 meses:

Por volta dos três meses, as crianças passam a buscar e acompanhar o olhar de seu cuidador; identifica a fala de seu cuidador mostrando reações corporais; Por volta dos 6 meses começa uma discriminação na produção sonora, que tendem a aparecer principalmente na presença dos pais; em relação ao brincar, olham para os objetos e o exploram de diferentes formas (sacodem, atiram, etc);

De 6 a 12 meses:

Começam as brincadeiras sociais (como brincar de esconde-esconde), a criança passa a buscar contato visual para a manutenção da interação; A criança começa a repetir gestos de acenos, dar beijos, bater palmas, etc; Começa a atender ao ser chamada pelo nome; Apresenta movimentos antecipatórios e imitativos; Balbucio se diferenciando, risadas e sorrisos; Presta atenção a fala do cuidador respondendo com gritos, balbucios e movimentos corporais.

De 12 a 18 meses:

Aos 12 meses, a brincadeira exploratória é ampla e variada, a criança gosta de descobrir diferentes atributos (texturas, cheiros, cor) e função dos objetos (som, luzes, movimento); O jogo de faz-de-conta emerge por volta dos 15 meses e deve estar presente de forma mais clara aos 18 meses; Surgem as primeiras palavras, por volta dos 18 meses os primeiros esboços de frases; Entre 15 e 18 meses começam a apontar para as coisas.

De 18 a 24 meses:

Por volta dos 18 meses, a criança começa a reproduzir o cotidiano por meio de uma brincadeira e descobrem a função social dos brinquedos; Tem iniciativa espontânea de mostrar ou levar objetos ao cuidador; Gestos começam a ser usados na comunicação;

De 24 a 36 meses:

A criança brinca construindo cenas e estórias, nas brincadeiras, usa um objeto “fingindo” que é outro; Gostam de brincar perto de outras crianças e demonstram interesse por elas; Aos 36 meses gostam de propor/engajar-se em brincadeiras com crianças da mesma idade; Começa a contar pequenas estórias.

Vale ressaltar que não precisamos direcionar as brincadeiras com as crianças o tempo todo. É importante que o brincar aconteça de maneira inesperada e inconscientemente. E que ele apareça da alegria, da curiosidade, da vontade de agir e interagir. Para isso, basta que nossas crianças brinquem!

Até a próxima!

Flávia Cardoso,

Fonoaudióloga, mestre e especialista em linguagem pela PUC/SP.

Email para contato:[email protected]

Posts Relacionados

Deixe uma resposta