R. Antônio de Barros, 2391 - São Paulo/SP
(11) 2925-5653
sono

7 POSTURAS PARA AJUDAR O SEU FILHO A DORMIR NA CAMA DELE

Compartilhar a cama com os pais é algo muito comum para diversas famílias com filhos pequenos. Ouço que é gostoso sentir o cheirinho do bebê, dormir abraçadinho, acordar a qualquer momento para verificar se ele está respirando e voltar a dormir tranqüilo. Com o tempo, o bebê vai crescendo, passa a se movimentar com mais freqüência, o sono perde sua qualidade e o espaço na cama começa a ficar reduzido. Então, os pais decidem que chegou o momento do filho dormir na sua própria cama.

A hora de dormir na própria cama simboliza que a criança está caminhando em direção a autonomia e independência dos pais. O não querer dormir, pode ser uma maneira da criança querer conhecer todo o novo cenário. Há tanta coisa nova acontecendo que ela não quer perder nada.

Antes de fazer essa transição, lembre-se que este é um momento de mudança e é natural algumas crianças se sentirem inseguras. Porém, elas precisam do nosso apoio para aprenderem a dormir em um espaço somente delas e para elas. É uma nova habilidade a ser desenvolvida e a nossa ajuda com amor e respeito é essencial para elas se acostumarem com esse novo hábito. Algumas posturas podem auxiliar nesse processo.

1. Seja um espelho positivo. Nós, os adultos, somos como um grande espelho que reflete o comportamento das crianças. Estimulá-las a entrar em um movimento mais sereno para dormir exige da gente uma atitude menos acelerada também. Alimente sua calma de modo que isso diminua o ritmo do seu filho. Você é o porta voz da tranqüilidade, então, desacelere. Seja ágil, mas não agitado.

2. Certifique-se de que seu filho tem um ritual regular para dormir. Ter uma rotina que facilite a chegada do sono é importante nestes primeiros momentos de aprendizado. A repetição dessa ritual faz com que a criança se sinta segura, pois sabe qual o próximo momento ela viverá.

3. Crie um senso de familiaridade com a nova rotina. As vezes perdemos o senso de realidade quando estamos agitados ou com medo. É importante que a criança participe das escolhas desse processo, como por exemplo, qual o lençol ela prefere, assim vai construindo pouco a pouco uma sensação amistosa de familiaridade com essa nova realidade de dormir na sua própria cama.

4. Ofereça segurança e aconchego. Além da sua presença física, conecte a criança com objetos concretos. Se for um brinquedo perigoso evite, mas se remeter à afetividade, coloque-o próximo da criança sempre que ela for dormir. Isso ajuda a transferir a sensação emocional ruim do medo para o objeto. Algumas crianças adormecem facilmente após a leitura de um livro. Outras preferem que os pais estejam sentados ao lado delas, sobre a cama. Siga o melhor caminho para que seu filho sinta que não está sozinho nessa, que vocês vão enfrentar isso juntos e que estará por perto se ele precisar.

5. Traga a criança para o presente. É possível que ela tente conversar ou demonstre agitação para não dormir. Nesses casos uma comunicação curta e direta ajudam o cérebro a codificar melhor, já que ele está sendo preparado para funcionar em baixa velocidade.

6. Contenha fisicamente. Dependendo do tipo de agitação da criança, é possível que ela queira sair da cama e uma alternativa pode ser contê-la. O ideal é fazer isso de lado, pois de frente pode criar um embate e por trás pode aumentar a desconfiança dela. Uma aproximação gentil, carinhosa e um abraço de lado funcionam para dar a sensação de aconchego e segurança que a criança precisa.

7. Ofereça apoio emocional. Algumas crianças ao verem os pais saindo de seu quarto, começam a chorar. Ou então, acordam durante a noite. Nesses casos, faça tudo o que simbolize que você está com ela e estará por perto sempre que ela precisar, mas procure fazer isso na cama ou no quarto da criança.

A criança que percebe que está sendo cuidada e que tem esse suporte da gente de um lugar seguro, que fornece esse acolhimento e coragem para seguir em frente, aos poucos também vai desenvolvendo essa segurança dentro do coração dela. Assim, poderá fechar seus olhos e ter a garantia que ao acordar poderá aproveitar cada nova situação que está acontecendo na vida dela com o coração cheio de paz e tranqüilidade.

Com amor,

Ana Flávia Fernandes

Posts Relacionados

Deixe uma resposta