R. Antônio de Barros, 2391 - São Paulo/SP
(11) 2925-5653
Vinculo afetivo

INFÂNCIA: DE 6 A 12 MESES

Esta é uma fase de fortalecimento dos vínculos afetivos.

Desenvolvimento físico

  1. A partir dos 6 meses tem os musculos, o equilibrio e o controle motor mais desenvolvidos, possibilitando sentar sem apoio.
  2. Por volta do 6 ao 8º mês é capaz de segurar com firmeza e estabilidade um brinquedo e manipula-lo nas mãos.
  3. Com 7 meses alguns bebês começam a demonstrar incômodo com o nascimento dos dentes.
  4. A partir do 8º mês consegue arrastar-se ou gatinhar. Olha para quem o chama pelo nome.
  5. Com 9 meses os dedos e as mãos funcionam como brinquedos. Bate palmas e dá tchau.
  6. Aproximadamente no 10º mês adquire o controle do dedo indicador, conseguindo apontá-lo para algo e usando-o como recurso de comunicação.
  7. Por volta de 11 meses tenta ficar de pé, ecostando-se nas paredes e apoiando-se em moveis.
  8. Próximo de completar 1 ano de idade começa a dar os primeiros passos com ajuda de uma pessoa.

Desenvolvimento da linguagem

  1. Os gestos passam a acompanhar sua “fala”. Por exemplo, abre e fecha a mão quando quer alguma coisa.
  2. Embora inicialmente não entenda todos os significados, o bebê vai tentar imitar os sons familiares. Progressivamente, alguns dos seus sons vão se transformando em palavras como papá e mamã.
  3. Começa a reproduzir o mesmo tom de voz da conversa dos adultos.
  4. Nesta fase, ao passo que os gestos vão sendo nomeados, o bebê começa a reconhecer e associar ações à determinadas palavras. Por exemplo: tchau = acenar.
  5. Inicio do treino com monossilabas, como: ma-ma, pa-pa, be-be.
  6. Por volta dos 10 meses poderá surgir a primeira palavra.

Desenvolvimento cognitivo

  1. A partir dos 10 meses sua noção de causa e efeito está bem desenvolvida e sabe exatamente o que vai acontecer quando aperta um botão do brinquedo (ele emite um som) ou quando deixar cair o brinquedo (alguém vai pegar para ele). Também começa a relacionar os objetos com o seu fim. Por exemplo: colocar o celular perto do ouvido.
  2. O desenvolvimento progressivo da capacidade de atenção e concentração fazem com que consiga manter-se concentrado durante um espaço de tempo cada vez mais longo.

Desenvolvimento social

  1. O bebê começa a interagir mais com as pessoas a sua volta através dos gestos, expressões faciais e vocalização.
  2. Passa a imitar o comportamento de pequenas ações que os adultos fazem. Por exemplo: pentear o cabelo.
  3. Por volta de 10 meses, aumenta sua vontade em interagir com outros bebês.

Desenvolvimento emocional

  1. O bebê se apega a quem interage com ela melhor em qualidade e no momento da necessidade e não com quem fica com ela a maior parte do tempo.
  2. No inicio desta fase o bebê vocaliza mais na presença desta figura cuidadora, sorri mais para ela, dá os braços para ela, deixando evidente a formação de um forte vínculo de apego, tornando-se normal a manifestação da ansiedade de separação ao seu afastamento, mesmo que por breves instantes.
  3. Por volta dos 8 meses demonstra ansiedade frente a estranhos, indicando que o bebê consegue discriminar pessoas conhecidas das desconhecidas.
  4. Amplia sua consciência sobre si. Inicialmente, o bebê experimenta a si mesmo como sendo uma extensão do outro. Especialmente da mãe, ele e a mãe são vivenciados como sendo uma coisa só. Com o tempo, começa o processo de separação onde existem dois movimentos que se mesclam: o de concentrar a atenção em si mesmo esquecendo-se do outro e o de concentrar a atenção no outro ignorando a si mesmo. É por isso que ao ver sua imagem refletida no espelho a criança pode estranhar e achar que é outro nenê.
  5. A fantasia e a realidade ainda operam de forma misturada. Então, é comum nesta fase de vida a criança eleger um objeto (um ursinho ou uma toalhinha), o qual acredita realizar o mesmo papel afetivo da cuidadora.

Com amor,

Ana Flávia Fernandes

22 de janeiro de 2014
||||

Posts Relacionados

1 comentário

Deixe uma resposta