R. Antônio de Barros, 2391 - São Paulo/SP
(11) 2925-5653
colo de mãe

MANIA INFANTIL OU NECESSIDADE LEGITIMA

Recebo muitas perguntas se é normal, se é mania, se pode ou não pode quando a criança quer ficar no colo, acariciar a orelha da mãe ou colocar a mãozinha dentro da boca da mãe enquanto é amamentada e muitas outras situações em que existe um contato físico entre mãe e filho.

Para responder a essas duvidas é importante sabermos que antes mesmo de nascer, todo o contato do bebê com o mundo acontece através do corpo da mãe. Ali de dentro da barriga, naquele corpo que fica abrigado, vai conhecendo e reconhecendo diversas realidades.

Nos primeiros meses de vida após o nascimento, o corpo da mãe é a extensão do corpo do bebê. O toque vai dando esse contorno corporal para a criança, delimitando o que é ela e o que é o outro. E quando a mãe ou qualquer outra pessoa se comunica com o bebê, potencializa ainda mais essa interação. Assim, vai sendo marcada a presença de alguém além da criança e os limites dessa relação.

O bebê empresta o corpo da mãe enquanto ainda não sabe andar, falar e o mundo lhe parece estranho, desconhecido ou desinteressante. O colo se torna o abrigo mais seguro para construir suas relações com o mundo e ir adquirindo confiança e autonomia.

Até que chega o momento que o chão começa a ser mais interessante que o colo e a relação com o corpo se transforma. Vai se fortalecer através de brincadeiras e da disposição afetiva do outro para brincar.

O toque, a relação e a comunicação corporal são atitudes que ajudam a prevenir diversas psicopatologias. O desenvolvimento infantil não depende só dos aspectos físicos e orgânicos, as questões afetivas e emocionais também são estruturantes da personalidade. E é isso que o contato físico gera nos pequenos, segurança e afeto. Por isso que o colo de um lugar amoroso, seguro e tranqüilo, é suficiente para ajudar no processo de cura do choro da criança. Ela se sente compreendida e acolhida em sua dor, mesmo que naquele momento seu desejo de comer o doce não possa ser realizado.

Claro que quando a mãe está desconfortável na situação de ter o filho colocando a mãozinha dentro da sua boca durante a amamentação, vale pensar quais outras formas se sentiria confortável em se conectar física e afetivamente com o filho e transformar esse momento em algo prazeroso para os dois.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta