R. Antônio de Barros, 2391 - São Paulo/SP
(11) 2925-5653

MENTIRAS ENTRE PAIS E FILHOS

Quando não conseguem ser autoridade ou determinar limites, os pais costumam passar o bastão para figuras imaginárias como policiais que prendem crianças e coelho da páscoa chantagista. Fogem de assuntos difíceis, ocultam o que fizeram na juventude e servem de exemplo para que o filho minta em nome da polidez. Os filhos não são diferentes. Bem cedo aprendem a manipular com choro falso e vão treinando a mentira até atingir a perfeição na adolescência.

Exceto as pessoas que tem algum déficit de desenvolvimento, todos temos a capacidade de mentir. A mentira nem sempre é uma falha moral. Ela costuma permear nossas relações e auxiliar no desenvolvimento da inteligência social. Todos nós nascemos com a capacidade inata para enganar os outros. Não mentimos apenas para obter vantagem e escapar de punições, mentimos também para poupar os sentimentos das pessoas. Somos capazes de contar a verdade, mesmo quando a mentira é uma estratégia mais fácil, mas também internalizamos valores morais e por isso não mentimos por mau caráter ou má educação. Fazemos isso por que somos um exemplar da espécie mais inteligente dos seres vivos.

Nesta série especial sobre mentira, vou descrever a sua evolução e as principais mentiras entre pais e filhos.

AS MENTIRAS QUE OS FILHOS CONTAM PARA OS PAIS:

Chorar

Eu não mexi

Tem um monstro no meu quarto

Eu não fiz isso

 

AS MENTIRAS QUE OS PAIS CONTAM PARA OS FILHOS:

A cegonha trouxe você para nós

Em casa falamos sobre tudo

Brincar de policia e ladrão faz a criança virar marginal

Eu amo meus filhos da mesma forma

A vovó virou uma estrela

Não vai doer nadinha

Nós fazemos tudo pelo seu interesse

Videogame faz mal

Se não se comportar, o policial vai vir te prender

24 de abril de 2013
||||

Posts Relacionados

Deixe uma resposta