R. Antônio de Barros, 2391 - São Paulo/SP
(11) 2925-5653
criança que bate

POR QUE AS CRIANÇAS BATEM APÓS SEREM ACOLHIDAS POR NÓS?

É uma grande surpresa quando o filho tem uma atitude de raiva com os pais depois de terem passado um bom tempo juntos. Isso não significa que você tenha feito algo errado, é exatamente porque estão conectados que a criança mostra sua dor. Isso significa que seu filho quer aceitar seu amor e precisa da sua ajuda para deixar ir alguns sentimentos desconfortáveis que estão atrapalhando de se conectar com você.

Antes de toda essa interação, a criança viveu situações difíceis, ela armazenou algum ciúme, raiva, frustração e outros sentimentos que não se sentia a vontade para expressar. Essas emoções dolorosas desconectam as crianças de nós, então elas não conseguem receber o amor que estamos oferecendo. Como resposta, elas agem de maneira opositora, vingativa e raivosa. Então, quando tentamos uma proximidade, é como se elas resgatassem o que sentem saudade. Isso traz a tona toda sua necessidade reprimida para nós, mas todos esses sentimentos de tristeza, raiva ou frustração estão no caminho.

As crianças adoram ficar no aconchego do colo dos pais, brincar e se divertir junto. Ao estabelecer essa conexão com as crianças ajudamos a se sentirem seguras o suficiente para nos mostrar os sentimentos que elas ficam lutando o tempo todo dentro de suas cabeças e que não sabem o que fazer com eles.

O nosso amor precisa se apresentar não apenas nos momentos bons, mas também nos momentos em que as crianças nos mostram seu profundo desespero. É nessa hora que elas se sentem aceitas na sua forma de se apresentar para nós, de mostrar suas emoções difíceis até que elas se esvaziem e o amor se torne a sua cura.

A boa noticia é que depois de mostrar como se sentem, de serem compreendidos, estes pequenos abrem um sorriso no rosto e seguem colaborando com a rotina da casa.

Este é um dos grandes benefícios de passarmos um tempo exclusivo com os filhos. Os pequenos começam a se reconectar com a gente em um nível mais profundo. Nos mostram o que realmente está acontecendo e pedem nossa ajuda para acompanhá-los nesse desafio de lidar com as emoções.

As vezes, vão apenas falar, outras vão querer bater ou quebrar coisas. A atitude de destruir, quebrar ou bater é inaceitável, mas o sentimento não. Mesmo enquanto for definido este limite, é importante nos mantermos conectados. Segurar as mãos e reconhecer as emoções das crianças, ajuda a nos colocar no lugar delas, gerando a empatia e segurança suficiente para que possam expressar sua emoção.

Depois, esperamos que a criança fale, chore e esvazie por completo tudo o que está em seu coração. Ela pode querer lutar contra você, o que ajuda as crianças a superar a raiva e diminuir o medo. Então, podemos dizer: “Você está muito chateado. Eu não vou deixar você me machucar, mas você pode me mostrar como você está, empurrando minhas mãos, dizendo em palavras o que está sentindo. Estou aqui para te ouvir.”

Se puder ficar compassivo e realmente senti-la a partir de sua perspectiva, provavelmente, ela se sinta mais confiante, segura para apenas chorar e a verdadeira cura acontecer. Você vai percebê-la mais aliviada e pronta para dar e receber o amor que sentem um pelo outro.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta