R. Antônio de Barros, 2391 - São Paulo/SP
(11) 2925-5653
luva de boxe

POR QUE NÃO DAR TUDO O QUE OS FILHOS DESEJAM?

Comumente ouço pais reclamando que os filhos, mesmo tendo tudo, não valorizam o que tem.

Acho intimamente doloroso presenciar cenas em que os pais se mostram incapazes de avançar na educação dos filhos não por falta de amor, mas talvez por falta de conhecimento do que acontece dentro dos filhos.

Poucos pensam sobre isso, mas dar tudo o que os filhos querem por que os pais tem condições financeiras, estimula o filho a ter um instinto de perdedor e não de vencedor diante da vida e seus desafios.

Para entender o que quero dizer sobre o instinto vencedor vou exemplificar com uma luta de boxe. Durante a luta os dois competidores se mostram interessados em vencer. No final, quando os dois já estão exaustos, um deles acerta um golpe e sente que desestabilizou o outro. Quando o golpeador prevê a vitória, seu corpo é tomado pela endorfina que aumenta o nível sanguíneo de testosterona e adrenalina, provocando o aumento de batimentos cardíacos, maior oxigenação do sangue, elevação da pressão arterial e a diminuição da sensibilidade à dor e cansaço. Tudo isso aumenta sua atenção e capacidade em dar golpes certeiros, nocauteando o adversário. O vencedor é tomado pela sensação de prazer e bem estar, elevando sua autoestima.

Do outro lado, o competidor que levou os golpes do vencedor, sente-se atingido e sem energias para reagir. Seus braços não respondem para golpear ou defender. O lutador fica em estado de estresse, diminuindo imediatamente a produção de dopamina e endorfina, liberando altas doses de cortisona, provocando uma sensação física ruim. Seu coração bate menos, sua pressão arterial cai e diminui drasticamente a oxigenação do sangue, trazendo sofrimento cerebral com sintomas de medo, fracasso e perda.

Quando o filho ganha tudo aquilo que deseja com pouco esforço, é como se fosse o boxeador que vence a luta pela ausência do adversário. Ele não comemora por que não precisou superar obstáculos e atingir o objetivo de nocautear o outro pelo seu empenho. Pela falta de dificuldade para ganhar a luta, seu corpo não produziu endorfina.

Com o passar do tempo, os benefícios gratuitos geram no filho o direito de exigi-los sempre. Caso alguém lhe negue algo que deseja, pode usar métodos como constrangimento público, chantagem afetiva e força física até conseguir o que quer.

Se sentir que a barreira é intransponível, ele desiste. Mas, se perceber que o outro vacila, posterga ou inventa argumentos como barreira, ele continua na luta.

Com amor,

Ana Flávia Fernandes

Posts Relacionados

Deixe uma resposta