R. Antônio de Barros, 2391 - São Paulo/SP
(11) 2925-5653
tirar a chupeta

QUANDO A CHUPETA DEVE SER RETIRADA?

Essa é uma dúvida de muitos pais e parece ser uma tarefa bastante difícil para alguns.

Diferentes áreas, em variadas linhas de pesquisa, falam sobre os benefícios e os malefícios do uso da chupeta e o momento certo da retirada.

Alguns falam que, a retirada da chupeta no momento certo, diminui as possibilidades de flacidez na musculatura facial, de respiração bucal, além dos conflitos emocionais. Outros afirmam que o “desmame” da chupeta dá subsídios para a criança experimentar sentimentos de superação, potencializando seu desenvolvimento e autonomia.

Há também estudos que mostram que se o adulto oferece a chupeta, o desmame do seio materno acontecerá anteriormente, do que, quando comparados, com as crianças que não usaram chupeta. Ou, então, apontam que quando o bebê apresenta uma necessidade de sucção aumentada e a chupeta não lhe é oferecida, há maiores probabilidades deste chupar o dedo. Outros profissionais atestam o prejuízo que o uso da chupeta traz para o desenvolvimento de fala, da arcada dentária e, consequentemente, gera danos na mastigação, deglutição, respiração e fala. Além disso, já ouvimos falar que problemas com a higienização de tal objeto, podem ocasionar infecções intestinais, e outras doenças como cáries. Na área da psicologia, existem pesquisas que mostram que a chupeta é usada como um objeto de conforto, ou seja, um substituto do seio materno.

Apesar dos diferentes resultados citados aqui, o que se constatou em todas as áreas (Fonoaudiologia, Psicologia, Pediatria e Odontologia) é de que a retirada da chupeta deve acontecer até os 03 anos de idade. Contudo, o uso da chupeta traz uma memória emocional para a criança e, por isso, é preciso termos cautela ao adquirir estratégias para retirada desta.

Sugiro, então, que o “desmame” da chupeta não seja apenas uma decisão tomada com base na idade da criança. É fundamental observarmos o contexto geral!

Quanto mais assegurada estiver a rotina da criança, mais segurança ela terá em deixar a chupeta de lado. Assim como, o inverso também pode acontecer: mudanças importantes na rotina da criança como gravidez da mãe, separações, viagens, retirada da fralda, entrada na escola, nascimento de irmão, falecimento, dificultam o processo de desmame.

Deixo aqui algumas dicas na tentativa facilitar esse processo:

• Converse com seu filho sobre o “desmame” da chupeta, mesmo que ele seja pequeno;

• Negocie e faça combinados com a criança. (Aliás, essa é uma linguagem que elas entendem muito bem!)

• Reduza aos poucos o uso da chupeta;

• Não deixe a chupeta à mostra;

• Incentive antes da retirada da chupeta, a fala, o andar e o brincar;

• É fundamental que a retirada seja uma conquista para a criança.

• Aposte e acredite que seu filho cresceu e já consegue superar isso!

E Boa sorte!

Flávia Cardoso,

Fonoaudióloga, mestre e especialista em linguagem pela PUC/SP.

Email para contato:[email protected]

Posts Relacionados

Deixe uma resposta